Fonte FMFonte FM
arrow_drop_down
Reforma Protestante

Reforma Protestante

O sol brilhou mais forte em Vitemberga, pequena cidade no interior da Alemanha, no dia 31 de outubro de 1517. O dia amanheceu diferente nesse vilarejo diminuto porque foi exatamente na catedral da cidade que a nossa história foi escrita. Martinho Lutero, patrono da religião protestante, pregou, na entrada da Igreja do Castelo, os textos que incitariam subversão e revolução, embora fossem revestidos de retidão e paz. As 95 teses, ao desafiarem as heresias espirituais praticadas pelo clero católico da época, despertaram um avivamento cristão que transformaria, para sempre, o relacionamento do homem com o Eterno. O destino estava selado.

Esse avivamento persiste até hoje, e somos partes vivas desse movimento; por isso, é de extrema importância que conheçamos o nosso passado espiritual. Jesus, em seu infinito amor, inspirou o coração de Lutero a um novo nascimento, e essa experiência celestial permitiu com que nós, 504 anos depois, pudéssemos comemorar o dia em que o Senhor nos deu mais uma chance de nos aproximarmos d’Ele, apenas, e somente, por meio da fé.

O surgimento do protestantismo, assim, proporcionou um novo nascimento para a Igreja de Cristo. Renascimento esse que, através da fé (sola fide), da Escritura (sola scriptura), da graça (sola gratia), da glória a Deus (soli Deo gloria) e, principalmente, de Cristo (solus Christus), nos faz lembrar da Reforma Protestante como uma prova concreta do mais puro amor de Jesus por toda a sua criação.

Amém!